{ "data": [ { "event_name": "Purchase", "event_time": 1649966212, "action_source": "email", "user_data": { "em": [ "7b17fb0bd173f625b58636fb796407c22b3d16fc78302d79f0fd30c2fc2fc068" ], "ph": [ null ] }, "custom_data": { "currency": "BRL", "value": 180 } } ] "test_event_code:" "TEST4457" }
top of page

MAS O QUE É QUE PODE SER TÓXICO?

Atualizado: 12 de jul. de 2022

A palavra tóxico tem a ver com veneno.


Uma substância tóxica tem a capacidade de envenenar, de colocar a pessoa em uma situação de ameaça por algo que pode ser químico, físico ou espiritual e que faz mal, ao corpo e ao psiquismo, porque a tira de níveis de homeostase e de algum equilíbrio possível. Quando uma pessoa entra em contato com uma substância ou situação tóxica, ela é deslocada para uma posição de mal-estar que a corrói, que lhe faz mal.


Mas o que é que pode ser tóxico? Quase todas as coisas podem ser tóxicas, dependendo da quantidade administrada. Se uma pessoa se expõe demais ao sol, por exemplo, embora seja algo fundamental para o nosso bem estar, ele pode se tornar algo tóxico e resultar em uma insolação ou em queimadura de pele. Com a água acontece o mesmo. Embora seja um elemento vital para a nossa sobrevivência, o excesso de água pode provocar injúrias corporais. Um pensamento tóxico é aquele que acomete a pessoa de forma automática, incontrolável e com uma frequência constante, tornando a pessoa refém desse pensamento que tem forte poder de aderência. O pensamento tóxico sequestra a pessoa psiquicamente e por isso causa muita angústia, pois quanto mais ele retorna, na forma de loops, mais ele parece ser verdadeiro e mais ele é perturbador, intrusivo, com um forte apelo acusatório, condenatório e punitivo. Esses pensamentos podem ser classificados pelo que a psicanálise denomina de padrões de pensamentos obsessivos, que caracterizando a neurose obsessiva.


Quando uma pessoa fica algemada por um pensamento, por uma ideia pré-concebida, por um pré-conceito, por algo que a pessoa tomou como realidade sem questionar, sem testar, sem experimentar diferente, isso se constitui em uma espécie de prisão psíquica, invisível e insalubre, sem que a pessoa se dê conta de sua existência. Portanto, se o excesso traz à tona a dimensão tóxica, porque não dizer que o excesso de pensamento é tóxico? O problema é que sozinha, muitas vezes, a pessoa não consegue atenuar esses pensamentos. Pensar sozinho, quando o pensamento está obsedante, é ruim, e muitas pessoas não conseguem falar tampouco serem ouvidas. Nesse sentido, a psicanálise, desde a sua origem, é um instrumento que oferece à pessoa a oportunidade de falar o seu pensamento ao Outro, que é o psicanalista, e esse analista poderá criar uma espécie de desvio da insistência do pensamento. Quando uma pessoa fala do seu pensamento para alguém ele deixa de ser só seu, de ser apenas internalizado e passa a ter uma grande chance de ser modulado, modificado, transformado.


A força pulsional que é gasta nesse tipo de pensamento é enorme, terrível e provoca enorme sofrimento. Sozinha, a pessoa se entrega, se entreva.

Nessas situações, a dimensão tóxica está dentro da pessoa, dentro do seu pensamento. A dimensão tóxica é o próprio inconsciente que encontrou um modo muito ruim de funcionar. Quanto mais uma pessoa fica entrevada no pensamento obsessivo menos a vida dela acontece, porque ela não consegue tomar decisões.


Duas coisas são importantes: 1) encontrar alguém que lhe escute e lhe ajude a desconstruir esses pensamentos que se configuram como verdadeiras sentenças, por não terem sido questionados ou ponderados; 2) fazer com que esses pensamentos percam intensidade, para que a potência desses pensamentos possam ser destinados a ações que resultem no crescimento, na movimentação e no bem estar da pessoa que não consegue tomar decisões, levar projetos adiante, por estar refém de pensamentos insistentes.


Tomar decisões é fundamental. Pessoas que ficam paradas, procrastinando, vão se angustiando cada vez mais à medida que vão vendo o tempo passar. Entretanto, a vida urge, a vida pulsa, a vida conclama. O desejo também chama e fica numa posição entrevada pelo pensamento. É sofrer numa espécie de passividade diante do próprio inconsciente, que foi quem armou essa trilha. Pode levar muito tempo, mas quando a pessoa começa a se libertar das próprias armadilhas em que ela caiu sem perceber, a pessoa fica muito mais segura e autônoma e passa a dar menos potência às ideias que vem machucar. Nós somos os únicos responsáveis por fazer com que as dimensões tóxicas do nosso pensamento se transformem. Tem coisas a que só nós temos acesso, e por isso, só nós por nós mesmos, podemos fazer. Análise pessoal, esportes e artes, por exemplo, são alguns recursos aos quais podemos recorrer na busca de transformação. Podemos ter quem nos inspire, mas ainda assim o poder de transformar e encontrar respostas será sempre pessoal e intransferível. A análise é um processo que nós mesmos fazemos, ainda que na companhia de um Outro.


Carlos Mario Alvarez


Segue abaixo um breve comentário sobre "Quando pensar demais poder ser ruim"


Conheça o conteúdo do curso Relacionamentos Tóxicos

1.117 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1 comentário


garese
garese
09 de jul. de 2022

Assertivo como sempre. Devemos estar alerta em não sermos tóxicos, evitarmos os pensamentos tóxicos, trazer os pensamentos para o agora, para a razão e o mais importante...não nos envolvemos com os tóxicos, pq sobre esse temos mais poder de escolha. Ou fica ou evita !

Curtir
bottom of page