{ "data": [ { "event_name": "Purchase", "event_time": 1649966212, "action_source": "email", "user_data": { "em": [ "7b17fb0bd173f625b58636fb796407c22b3d16fc78302d79f0fd30c2fc2fc068" ], "ph": [ null ] }, "custom_data": { "currency": "BRL", "value": 180 } } ] "test_event_code:" "TEST4457" }
top of page

O BORDERLINE É ATONAL

Atualizado: 14 de dez. de 2023

A volatilidade do indivíduo com características borderline não é serena; ela evoca nuances de intensidade emocional. Essa personalidade oscila constantemente de humor, apresentando dimensões que, por sua natureza assustadora, tendem a transbordar, lembrando-se a uma placa quente prestes a aquecer. Recordo-me de uma metáfora que costumava usar ao trabalhar clinicamente com tal indivíduo: como desligar um aparelho da tomada quando a temperatura se eleva com uma palavra simples, muitas vezes direcionada a mim.

Os surtos de uma pessoa com traços borderline manifestam-se em excessos, transbordando em emoções intensas. Ela experimenta um ciclo que começa com uma sensação de maus-tratos, seguida por excessos, sofrimento e uma exigência incessante em relação aos outros, buscando reparo. Este excesso não se atenua facilmente, não permitindo que a pessoa se distancie para uma avaliação mais equilibrada. O princípio de realidade, como nomeado por Freud, torna-se desafiador para o borderline, dificultando negociações e harmonizações dentro de configurações de se perceber.


O dilema do borderline reside na dificuldade de encontrar uma melodia, uma harmonia que se encaixe em padrões de serem ouvidos. O que ele ouve é estridente, desprovido de cadência e, por vezes, tenebroso. Embora a vida contenha essas dissonâncias, para o borderline, a falta de ficção e fantasia que as coisas estão bem podem ser avassaladoras. A confiança no outro é um desafio, especialmente quando se descobre que a confiabilidade é questionável. A intensidade do borderline pode ser avassaladora, tanto para os outros quanto para si mesmo, contudo, o analista, quando sensível e receptivo, é capaz de suportar essas experiências.


É crucial compreender que o borderline carece de harmonia, assemelhando-se a uma música atonal. Ao contrário do neurótico, que busca repetidamente a mesma chave, a mesma clave, e procura harmonias familiares, o borderline desafia essas estruturas, fugindo da pauta como se a rasgasse. Em certas situações, palavras aparentemente inofensivas podem desencadear uma ocorrência de ódio inesperado, às vezes chegando a manifestações de maltrato.


Ao lidar com o borderline, estamos imersos em dimensões de alta tensão e expressões de violência, uma linguagem que essa pessoa aprendeu a utilizar. A singularidade do indivíduo borderline é marcada por uma constante sensação de perigo iminente e um desconforto persistente de desintegração. Este é um cenário em que a psicanálise pode desempenhar um papel fundamental, embora, por ora, devamos nos concentrar no reconhecimento de que o borderline enfrenta uma ameaça constante e viva em um estado contínuo de integração e desintegração. Ouça as composições de Schoenberg, Webern, Varèse e Berg, explore a música atonal, e talvez compreenda de maneira subjetiva o que estou descrevendo.


Equipe Psicanálise Descolada


Se você deseja se aprofundar neste tema, no dia 27 de dezembro, às 20h30, teremos uma live no YouTube sobre "A Psicanálise das Personalidades Instáveis". Vamos explorar como reconhecer situações relacionadas às personalidades narcísicas, histéricas e borderline, investigando seus aspectos disfuncionais e sintomáticos.


Clique no botão para garantir sua vaga, é gratuito. Não percam!


1.191 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page